terça-feira, 10 de abril de 2012

25 - O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro (idem) – Brasil (1969)



Direção: Glauber Rocha
Roteiro: Glauber Rocha
Antônio das Mortes, matador de cangaceiros contratado para exterminar bando descobre nos criminosos um idealista e revê seus conceitos.
Os filmes de Glauber, vistos em 2012, não causam o mesmo impacto que devem ter causado na época de seus lançamentos. Hoje, servem mais para admirar, como quando se está diante de uma obra clássica. E, de tal forma, mesmo antiquada e entediante, ainda é capaz de revelar algo original, útil, tanto pela sua linguagem, pela forma, quanto pelo seu conteúdo.
Mas quem sou eu para falar do meu conterrâneo Glauber, ilustre torcedor do Vitória. Prefiro deixar que alguém mais especial que eu fale, como é o caso do também rubro-negro, Martin Scorsese:
“Todo dia, sem exageros (risos), uma nova obra-prima vinha da Itália, da França, do Japão, de todo lugar. Elas surgiam de toda parte. E, de repente, 'O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro' chega nos cinemas e varre todos dali.
Aí, quando eu vi o 'Dragão', o filme parecia sobrepujar a política, fez a política parecer irrelevante de alguma forma, porque lidava com a verdade e a paixão. O filme tratava daqueles que tinham e dos que não tinham. E aqueles que não tinham seriam ouvidos e eventualmente viriam da Terra.
Mas, voltando ao 'Dragão da Maldade', penso que ele contém não só elementos do faroeste americano, mas também uma visão italiana do faroeste americano. Naquele momento, eu não podia responder analiticamente ao filme, porque eu estava arrebatado pela sua veracidade estética e política. A política estava lá, isso é óbvio, mas eu nunca tinha visto isso elaborado com tanta honestidade e de forma tão intrigante. Não tinha visto nada igual desde os primeiros filmes neo-realistas de De Sicca e Rossellini.
Eu conheci Glauber quando comecei a fazer meus primeiros filmes. Não há dúvida que O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro teve grande impacto sobre Caminhos Perigosos (1973) e especialmente em Touro Indomável (1980), em que colocamos algumas músicas brasileiras em homenagem a ele.
Meu filme predileto do Glauber é 'O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro'. Eu vou e volto nessa versão em português que tenho e aprecio muito. É o filme que eu vivo revendo e continuo mostrando às pessoas, se eu acho que elas merecem (risos).”
Para ler a entrevista completa, feita em 2006 pela Folha, é só clicar aqui.

Minha nota: 7,9
IMDB:  6,9
MelhoresFilmes: 7,0

Download:

3 comentários:

  1. Boa noite, o link se foi, teria como recolocá-lo por favor. Obrigado por esse e tantos outros filmes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disponha.
      Atualizei o link.
      um abraço
      Az

      Excluir
  2. Muito grato Az, de verdade. Grande Abraço!

    ResponderExcluir