domingo, 29 de abril de 2012

77 - A Pele que Habito (La Piel que Habito) – Espanha (2011)



Direção: Pedro Almodóvar
Roteiro: Pedro Almodóvar
Adaptação do romance "Mygale", escrito por Thierry Jonquet, trata-se de um drama de vingança de um médico cirurgião plástico que, após a morte trágica da esposa, tenta fabricar uma pele perfeita e capaz de resistir a dor (uma que poderia ter salvado a mulher, vítima de um incêndio).

Sempre tive uma certa resistência com Almodóvar. Metade por preconceito, a outra metade por um conceito mesmo. O preconceito se deve ao fato de eu sempre ter um pé atrás com coisas muito cults, como por exemplo, Los Hermanos, jazz no MAM e... Almodóvar. A áurea intelectual que lhes são colocadas acaba atrapalhando um pouco a própria obra. Já o conceito, é porque eu não vi nada demais em Volver e achei medonho Kika.

No entanto, A pele que habito me causou uma boa sensação e amenizou um pouco a minha pressão sobre Almodóvar. É um filme grandioso, intrigante e surreal. Tem que ter muita habilidade para pegar uma história absurda e desenvolvê-la de um modo que o faz ter todo um sentido. E, o melhor de tudo, sem muito estrelismo estético.

Só fiquei com uma dúvida: eu entendi errado ou a mãe/empregada e o irmão (tigrão) do protagonista (Antonio Banderas) eram baianos?

Minha nota: 8,4
IMDB:  7,7
MelhoresFilmes: 6,9

Download:

5 comentários:

  1. Fiquei de cara com esse filme! Acabei de assistí-lo e não consigo dar um parecer conciso a respeito. E, ao contrário de você, gosto muito de Almodóvar e Los Hermanos. Mas, dispenso o Jam no MAM. rs

    ResponderExcluir
  2. Você é cult, bicho! Assuma! hueahuhueahu

    ResponderExcluir
  3. Eram baianos e, além do carnaval do pelô, iam ao Jazz no MAM.

    ResponderExcluir
  4. não sei se eram baianos, mas o rapaz era brasileiro... o que faz as pessoas questionarem um pouco se houve algum toque de preconceito por parte de Almodóvar.

    ResponderExcluir