quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

342 - Peões (Peões) – Brasil (2004)



Direção: Eduardo Coutinho
Roteiro: Eduardo Coutinho
História dos operários que participaram do movimento grevista no ABC paulista.

São Bernardo, final da década de 1970 e começo da década seguinte.
Foi lá que ocorreram as maiores greves da história desse País.
E de lá despontou um líder sindical barbudo e que viria a se tornar presidente do Brasil.
Esse todo mundo sabe quem é, todos se lembram.
Mas, ele não estava sozinho. Uma massa de trabalhadores viveu aquele histórico momento, e emprestaram seus corpos, mentes, braços e rostos, que construíram a greve. Importantes, apesar de anônimos. E é aí que Coutinho entra.
Como já é marca do diretor, o interesse em se buscar as pessoas “banais”. Descobrir quem é aquele rosto, invisível diante da massa de milhares que ocupam um campo de futebol durante a assembléia dos metalúrgicos. Quem era ele? Qual o seu nome? O que ele estava pensando naquele momento? Quem era ele naquela época? Quem ele é hoje?
E das greves do ABC, participaram a tia do cafezinho, o eletricista, a cozinheira, o zelador, a mulher do sindicalista, o peão. Cada um com suas histórias. Cada um com sua contribuição anônima para a história do Brasil.
Como todos os documentários de Coutinho, Peões é um filme importante sobre e para o Brasil.
E nele, o diretor parte da mesma perspectiva de Brecht em “Perguntas de um trabalhador que lê”. É como se o filme de Coutinho e esse poema fossem uma coisa só:
Quem construiu a Tebas de sete portas?
Nos livros estão nomes de reis:

Arrastaram eles os blocos de pedra?
E a Babilônia várias vezes destruída
Quem a reconstruiu tantas vezes?

Em que casas da Lima dourada moravam os construtores?
Para onde foram os pedreiros, na noite em que a Muralha da China ficou pronta?

A grande Roma está cheia de arcos do triunfo:
Quem os ergueu?

Sobre quem triunfaram os Césares?
A decantada Bizâncio
Tinha somente palácios para os seus habitantes?

Mesmo na lendária Atlântida
Os que se afogavam

gritaram por seus escravos
Na noite em que o mar a tragou?

O jovem Alexandre conquistou a Índia.
Sozinho?

César bateu os gauleses.
Não levava sequer um cozinheiro?

Filipe da Espanha chorou,
quando sua Armada naufragou.

Ninguém mais chorou?
Frederico II venceu a Guerra dos Sete Anos.
Quem venceu além dele?

Cada página uma vitória.
Quem cozinhava o banquete?

A cada dez anos um grande Homem.
Quem pagava a conta?

Tantas histórias.
Tantas questões.


Minha nota: 8,3
IMDB: 7,5
ePipoca: 5,0

Sugestão: ABC da greve

Download:

Um comentário: