quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

343 - Fale com ela (Hable con ella) – Espanha (2002)



Direção: Pedro Almodóvar
Roteiro: Pedro Almodóvar
Enfermeiro solitário e jornalista viram amigos após se conhecerem em um hospital. Ambos estão apaixonados por mulheres em estado de coma.

Um belo filme, com uma sensibilidade ímpar.
Em Fale com ela, Almodóvar faz relativizar a loucura, a sanidade, o amor, o desejo, a vaidade, o egoísmo e, sobretudo, a morte e a vida.
O filme é uma espécie de iguaria, elaborado com ingredientes refinados e na medida certa. A trilha sonora, as cores, o roteiro, as atuações, a história, os vermelhos. Tudo isso se encaixa perfeitamente, resultando em um prato extremamente saboroso e agridoce.
Fiquei curioso para saber como é que terminaria a história.

...
Referências ao Brasil:
- Em certo momento, o personagem entrega ao seu amigo alguns guias de viagem e um deles é do Brasil.
- Em uma seqüência, a música da trilha sonora é “Por toda a minha vida”, interpretada por Elis Regina.
- Em outra, o próprio Caetano Veloso dá uma palinha, tocando numa espécie de luau, a música “Cucurrucucu Paloma”, em sua versão espanhola. Em seguida, um dos personagens comenta com sua parceira: “Esse Caetano me deixa arrepiado”.
Essa foi uma verdadeira homenagem ao Brasil, especialmente ao baiano Caetano Veloso, de quem Almodóvar é amigo. Inclusive, foi de férias em sua casa, em Salvador, que o diretor espanhol escreveu o roteiro de “Tudo sobre minha mãe”.


Minha nota: 8,2
IMDB: 8,0
ePipoca: 9,4

Sugestão: A pele que habito

Download:

Torrent +Legenda (zippyshare)

4 comentários:

  1. Um dos melhores de Almodóvar, sem dúvida!

    ResponderExcluir
  2. Não posso negar que já tive certa implicância com Almodôvar, achava que ele aparecia mais que suas obras, entretanto acompanhar sua evolução como cineasta está sendo um prazer. “Fale com ela” é mesmo uma iguaria latina, mas fiquei encantada ao ver o quanto ele apurou a estética e temporalidade em “A pele que habito “. E assim, quase fã, estou esperando o próximo filme que, se o mundo não se acabar até o fim desse dia 21/12, quando for lançado vou assistir.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Soli... esperei dar meia-noite para ter garantia que o mundo não iria acabar. Aqui em Salvador são 23 e pouca. Por aí deve ser mais de meia-noite, com o horário de verão. Se por aí o mundo não acabou, aqui também não deve acabar, senão seria muita sacanagem com a gente.
      Já sobre Almodóvar, acho que tenho a mesma sensação que você. Sempre tive um pé atrás com ele, também por achar que a estrela dele (ou a que o público cedia a ele) brilhava mais que os próprios filmes. Sem falar que comecei vendo Kika, que é um monumental lixo.
      Mas, minha implicância com ele também foi se dissipando aos poucos, filme após filme. E A pele que habito é realmente uma obra onde Almodóvar vale menos que o filme, o que só enriquece os dois!
      Veremos o próximo dele, então!
      Abraços!

      Excluir
  3. "Fale com Ela" é uma obra prima, tenho um pequeno problema para digerir uma das cenas (a da tourada), mas é por uma questão pessoal, por eu considerar aquele tipo de espetáculo uma brutalidade... Fora isso, o filme é perfeito!

    http://sublimeirrealidade.blogspot.com.br/2012/12/entre-o-amor-e-paixao.html

    ResponderExcluir